Raspberry Pi e a volta da computação por Hobby

Até a década de 70 computadores eram para poucos, não haviam esse tipo de aparelho nas residências e até mesmo em empresas não era muito comum. Os poucos que tinha contato, o tinham em faculdades ou em grandes corporações.

A partir da década de 70 a computação e eletrônica começou a se tornar mais popular. Encontrar materiais e equipamentos sobre o assunto não era difícil, era possível encontrar kits e montar seu próprio computador pessoal ou adquirir um. Várias tecnologias e conceitos que temos hoje nasceram nesta época, inclusive a Apple e a Microsoft, iniciaram suas atividades nesta década.

O grande ‘boom’ da computação por hobby aqui no Brasil veio na década de 80, mas nessa época foi instalada a política de reserva de mercado, que proibia a importação de diversos itens eletrônicos e de informática. Não poderia por exemplo, simplesmente comprar um Apple II ou um ZX Spectrum, em seu lugar haviam clones (de boa qualidade ou não). De uma certa forma ajudou a termos algum desenvolvimento de tecnologia, bastante empresas de hardware e software, o governo federal chegou a realizar grandes investimentos nesse sentido.

TK85

Os computadores não eram como os de hoje, que você liga e sai usando. Em sua grande maioria, você comprava um computador e ao chegar em casa e ligar, tudo que via era um cursor na tela e uma pergunta na cabeça, “o que eu faço agora?”. Aquele cursor piscando significava que o computador estava pronto para seu comando, ou programa, como se fosse uma tela branca para um pintor. Quem quisesse ter um computador em casa, também deveria estar preparado para aprender programação e fazer seus próprios programas. Existiam diversas revistas especianizadas nesta época (Micro Hobby e Microsistemas por exemplo), algumas inclusive com códigos de programas pronto para ser digitados.

MicroSistemas1

Infelizmente com o avanço da informática e interfaces gráficas, cada vez mais os usuários de informática se tornaram menos hobistas e menos íntimos da máquina, agora basta alguns cliques para cumprir uma determinada tarefa, e não mais é necessário se envolver com programação. Se por um lado melhorou a produtividade em ambiente corporativo e trouxe a inclusão digital, por outro não formamos mais bons profissionais e não temos um grande desenvolvimento tecnológico.

Essa é uma preocupação mundial, e pensando nisso, um grupo de ingleses desenvolveu um mini computador chamado RaspberryPi. Quase do tamanho de um cartão de crédito essa plaquinha, que é um computador completo, possui uma CPU ARM11 rodando a 700MHz e 256MB ou 512MB de memória, suficiente para executar Linux e alguns programas e custa 35 dólares. A idéia dos desenvolvedores era distribuir em escolas e usar na educação tecnologica na inglaterra, ao ligar, o computador deveria ir direto para um shell de python (um cursor piscando de uma liguagem de programação, como nos anos 80). O projeto acabou desperando interesses dos mais variados grupos inclusive de hobistas e entusiatas da computação. Esperavam vender 100.000 unidades, mas mais de 1 milhão foi vendida nos primeiros meses, chegando a limitar 1 por pessoa e ter uma longa fila de espera.

raspberry_pi

A velha paixão por hobby pela computação parece estar de volta, a cada dia surgem novos projetos envolvendo o Raspberry Pi, que vai desde robôs, casas inteligentes, até fliperamas e media center. Você pode usá-lo como um computador para aprender a programar em Python, ou usá-lo em algum outro projeto. Quem sabe nosso governo adote algo parecido em escolas e universidades, ou quem sabe teremos uma comunidade de entusiastas novamente, tão forte quanto à que existia nos anos 80.

Tiago Almeida, é um "Retrogamer" geek da era 8-bits, fanático por Computadores, Games, Heavy Metal, Unix, RPG, Futebol Americano e Automobilismo. Sente saudades dos anos 80/90 e não vê tanta graças nas modas atuais.

Marcado com: , , , , , ,
Publicado em Retro Computing
2 comentários em “Raspberry Pi e a volta da computação por Hobby
  1. Muito bom texto. Me animei bastante e com certeza vou correr atrás de um desse pra mim.

    E blog favoritado. Parabéns!

    • oldbit disse:

      Fernando, que bom que ficou animado é essa a intenção dos idealizadores do projeto. Procure saber mais no site oficial: http://www.raspberrypi.org. Vai encontrar informações de onde comprar, exemplos de projetos, a revista MagPi e o fórum.

      Não deixe de nos contactar em caso de dúvidas, ficaremos felizes em ajudar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: